terça-feira, 26 de maio de 2015

Sobre não ter marido e não ser Mãe

Passamos a vida sendo cobrados por alguma coisa, já repararam?

Foto: Web


Quando se é criança, te cobram bom comportamento e boas notas. Quando você cresce um pouquinho, te cobram ser melhor em tudo o que faz, por volta dos 18 anos te cobram a profissão que você quer seguir no futuro.
Quando arrumamos um emprego, cobra-se excelência. Quando namoramos, cobra-se o casamento. Depois do casamento cobra-se filhos.

Mas o que acontece quando se chega no fim da casa dos 20 anos e ainda não se tem marido e nem filhos?

Pode crer meu caro, a cobrança é bem maior. Pelo menos no meu caso.
Faço parte daquele grupo seleto de mulheres que são "as últimas solteiras da turma" ou se você preferir, sou aquela que ficou para titia.
Já vi boa parte das amigas de infância, do colégio e da faculdade se casar - fui até madrinha de alguns desses casamentos- e se tornarem mãe e eu aqui, sem um namorado. Tadinha, você deve estar pensando ai.

Verdade que em boa parte dos últimos 10 anos, me senti sim a tadinha. Também, não seria pra menos. Enquanto via as pessoas próximas a mim construindo histórias lindas de amor, eu colecionava desilusões. Ok, meio que continua assim, mas hoje em dia consigo tirar um aprendizado da coisa.

Ser solteira tem sim seu lado bom. Bom não, ser solteira tem seu lado magnífico! Aprendi, forçadamente devo dizer, a dar muito valor a minha liberdade. Como é delicioso a liberdade de "vou fazer o que eu quiser no final de semana.E ponto."  Não existe aquilo de "será que fulano vai querer ir comigo?" "Será que fulano topa ficar em casa vendo um filminho?". Se eu estou afim de sair, vou e pronto. Se quero ficar em casa sem fazer nada, idem! Não preciso daquele comum acordo sabe?

Mas ai você deve estar pensando "Ah, mas ter alguém ao lado é tão bom!". Concordo contigo amiga (o), mas nada é tão bom quanto ser feliz com a própria cia. Não dizem por ai que para ser feliz ao lado de outra pessoa você deve, antes de qualquer coisa ser feliz sozinho? Então...

Tem horas que é um saco, confesso, escutar esse blábláblá de gente totalmente irresponsável e infantilizada se achando "o mais adulto dos seres" por terem casado e/ou tido um filho.
Amor, não é porque não tenho marido e não sou mãe que significa que sou inferior a você. Tenho responsabilidades sim, talvez até mais do que você. E sem aquele papo de "Você não sabe a responsabilidade que é criar um filho." Ah meu amor, sei sim. O fato de não ter um filho não está diretamente ligado ao fato de não conhecer as responsabilidades que demanda a função.
Não tem um papo de "Não preciso usar crack/cocaína para saber que é prejudicial. Eu sei e pronto."? Então...

Ai você me diz : "Ah, isso é papo de mulher amargurada, sozinha mau amada.". Querida (o), para seu governo sou muito amada, e me amo muito. O fato é que cansei de me torturar por ainda ser solteira, entende?

Se o momento é ser solteiro, então vamos aproveita-lo! Nada de lamentações, lamurias ou coisas do tipo. Vamos tirar proveito de tudo de bom que essa fase pode oferecer.

É CLARO que eu penso em me casar, ter filhos. Mas parei de querer que isso aconteça desesperadamente na minha vida. Vai acontecer no momento que tiver que acontecer, e se não acontecer foi a vontade de Deus. E como todos já sabemos, é Ele quem sabe de todas as coisas. #Amém




6 comentários:

  1. Adorei seu post, de verdade! O ser humano precisa aprender a parar de cobrar um ao outro! Cada um é feliz a sua maneira e ninguém tem que dizer o que é certo ou deixa de ser... Parabéns por ser assim tão bem resolvida com si própria!
    Beijinhos
    www.vaidosaefeminina.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna!
      Que bom que gostou do texto.Foi meio desabafo sabe?
      Muito obrigada pela visita.

      Beijinhos

      Excluir
  2. Ameiii a postagem... Como respondeu para Bruna; um desabafo, mas uma verdade muito explícita. Mania das pessoas quererem ditar regras e padrões... Felicidade é algo tão particular. Vemos pessoas casadas que se sentiriam muito mais feliz sendo solteira como o contrário. É algo muito particular que não se encaixa nem um pouco em qualquer "modelinho".
    Beijos e beijos^.^
    http://thathabulle.blogspot.com.br
    http://youtube.com/c/thathabullé

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thatha, que bom receber sua visita!

      Felicidade é mesmo algo muito particular, e cada um de nós temos um "ideal de felicidade" diferente do outro.
      Fico feliz que eu tenha conseguido passar o que eu realmente queria com esse texto.

      Volte sempre que quiser, beijinhos!

      Excluir
  3. O que 2015 me ensinou é que o importante é ser feliz! :D

    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O importante é ser feliz e cantar Backstreet Boys nas ruas de Buenos Aires de madrugada.

      Te amo <3

      Excluir

Deixe o seu comentário! Se você tiver um blog, deixe seu endereço aqui também, vou adorar conhecer seu cantinho!